Impostos para dentistas: otimizando os gastos

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

O pagamento de impostos por dentistas é um dos maiores temores profissionais da classe, desde sua saída da faculdade. De fato, a alíquota tributária pode chegar a porcentagens significantes caso o profissional não seja bem assessorado, e acaba por tomar decisões erradas neste campo.

É importante entender que o dentista pode se registrar sob diversos modelos diferentes. Primeiramente, tanto como profissional liberal quanto como pessoa jurídica.

O senso comum nos leva a crer que nesta situação, o trabalho como autônomo, utilizando o Cadastro de Pessoa Física (CPF), seria o menos custoso para o profissional. No entanto, essa informação não procede.

Isso se dá pelo fato de existirem diversos modelos de regime tributário para a pessoa jurídica, e eles podem ser menos onerosos que a alíquota incidente sobre um autônomo.

Como profissional liberal, como dissemos no artigo sobre abertura de empresas para dentistas, a alíquota tributária é a do Imposto de Renda de Pessoa Física, ou seja, de até 27,5% da renda do profissional. Soma-se também o recolhimento do INSS, de até 20%.

Regimes Tributários

Caso o dentista opte por aderir à pessoa jurídica, poderá escolher entre três regimes tributários: Lucro Real, Lucro Presumido e o Simples Nacional. Cada um destes possui uma série de regras diferentes que irão reger a contribuição do seu negócio e darão diferentes cargas de impostos para dentistas.

O Lucro Real é um modelo que baseia a tributação, como o próprio nome antecipa, sobre o lucro da empresa, entendendo este como a diferença entre o faturamento e os gastos totais de um período. A alíquota paga irá variar de acordo com o valor, logo não é fixa.

Já o Lucro Presumido não se determina sobre o resultado de faturamento versus gastos. Ele, na realidade, tem uma alíquota fixa, que apenas varia de acordo com o serviço prestado. Ela presume a lucratividade da empresa (daí o nome), e determina uma tributação fixa referente ao segmento.

Por fim, o Simples Nacional é um regime de tributação que otimizado para micro e pequenas empresas, cujo objetivo é tornar o cálculo e pagamento de impostos ainda mais simplificado e acessível para o profissional. A tributação varia de acordo com o segmento do negócio e também sobre a faixa de faturamento. Ainda há a vantagem de todos os impostos serem unificados em uma única guia, o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS).

Tomando decisões baseadas em análises profissionais

Agora que você conhece melhor sobre a tributação dos autônomos e os três regimes tributários da Pessoa Jurídica, deve estar se perguntando qual deles é o mais eficiente para um dentista. Esta pergunta, no entanto, não tem uma resposta única. Dependerá do faturamento do profissional, seu lucro, suas expectativas de crescimento e também sobre outros assuntos que não são necessariamente da área tributária/contábil.

Nós, da Control Odontologia, recomendamos a consultoria de bons profissionais da área de contabilidade, que possam avaliar o contexto do seu negócio e irão oferecer a estratégia contábil adequada para sua atuação.

Mais conteúdos interessantes

Entre em contato com
a Control Odontologia

A Control Odontologia é especializada em prestar um serviço contábil seguro, eficiente e prático para todos os dentistas. Entre em contato agora mesmo e conheça mais.